Na antiga Grécia, o Templo de Apolo em Delfos era profundamente respeitado por todos em função de sua sabedoria. Pessoas de todas as partes do continente, de todas as classes sociais, concorriam ao Oráculo antes de tomar importantes decisões em suas vidas. Mas fosse qual fosse a resposta, por mais sábios os conselhos ou mais acertadas as decisões, nada tinha mais peso do que as palavras cunhadas em pedra no portal de entrada: “Conhece-te a ti mesmo”. Centenas de anos depois, estas palavras continuam sendo urgentes em nosso mundo, talvez até mais do que foram no passado.

A meditação e a saúde

Não é novidade pra ninguém: meditar reduz a pressão arterial, elimina ansiedade e stress, reforça todo o sistema imunológico. Alguns países dão desconto em seus seguros de saúde para meditadores porque reconhecem cientificamente todos os benefícios que esta prática proporciona. Isso sem falar nos efeitos colaterais: relacionamentos harmoniosos, vida mais equilibrada e consciência para enfrentar os desafios da vida. Só estes motivos já são mais do que suficientes para qualquer mortal aprender a meditar. Mas existe outro aspecto que nem sempre é mencionado: a cura das feridas da alma – o ponto chave para a Liberdade Emocional.

Mesmo sendo meditador há muitos anos – e meus clientes são testemunha da importância que dou a esta técnica em seus processos de cura – e já tendo praticado vivências similares, no início do mês de junho participei de um retiro de 10 dias de Meditação Vipassana. E posso dizer que fiquei surpreso com o resultado.

Vipassana – ver as coisas como elas são

Segundo a tradição, esta foi a técnica ensinada por Sidarta Gautama, o Buda, como forma de eliminar o sofrimento humano. Dois mil e quinhentos anos depois, ela foi trazida ao ocidente por S. N. Goenka, um rico empresário birmanês nascido em 1924 que, com 25 anos, rodou o mundo em busca da cura para sua enxaqueca crônica sem sucesso. A conselho de um amigo inscreveu-se em um curso de meditação no seu país e, para sua surpresa, não só a enxaqueca desapareceu, como encontrou uma forma de viver a verdadeira paz pessoal. Pouco tempo depois sua mãe, que estava na Índia, adoeceu. Ele sabia intuitivamente que a meditação poderia ajuda-la e viajou, formando a primeira turma neste país. A propaganda boca-a-boca dos benefícios cresceu trazendo cada vez mais pessoas para aprender, tornando a técnica reconhecida em todo o mundo. Hoje, Goenka dedica-se integralmente a disseminação desta meditação.

Todos falam em paz e harmonia, mas quem a vive verdadeiramente? O grande diferencial da técnica Vipassana sobre outras é conduzir seus participantes a viver esta realidade ao nível da experiência, em cada uma das partes de nosso sistema corpo-mente.

O retiro que participei foi realizado na cidade de Brasília (onde acontece semestralmente), com a presença de 63 pessoas de ambos os sexos. Existem outros locais pelo Brasil, com destaque para o estado do RJ, com cursos mensais. Haviam pessoas de todas as idades, níveis e tendências religiosas, com e sem experiência anterior. A recepção é feita na tarde de quarta-feira onde são dadas as instruções. Na manhã do dia seguinte, pontualmente as 4:00h da manhã, se inicia o trabalho no mais completo silêncio – em frases, olhares ou toques.

Diariamente são aproximadamente 10h de meditação, com intervalos para descanso e refeições (vegetarianas). A técnica vai sendo explicada pouco a pouco para que todos tenham tempo de viver o processo progressivamente. Pela noite, uma palestra contendo princípios da sabedoria budista e ampliando ainda mais os conceitos desta escola. Mas é importante lembrar: não se trata de um trabalho sectário – é uma técnica, livre para ser praticada por todos, que assim como a EFT não possui nenhuma conotação religiosa. Na sala de meditação não se vê uma imagem ou gravura representando este ou aquele líder espiritual ou divindade.

Eu fui sem expectativas (diga-se de passagem, uma maneira bastante saudável de se viver) e fiquei absolutamente surpreso com os resultados. Embora a EFT ou outras técnicas energéticas tenham a capacidade de curar traumas, feridas emocionais e aliviar em muito o sofrimento humano, a meditação conduz a níveis de consciência ainda mais profundos porque encontra bloqueios energéticos antes que os mesmos se manifestem como emoções negativas.

Mas não pense que é um passeio transcendental ou um período de férias e descanso: em se tratando de um curso de 10 dias de Vipassana, permanecendo 10h por dia sentado e de olhos fechados, a última coisa que você vai fazer é descansar! Pra simplificar, posso dizer que vivi vales de tristeza e profunda solidão seguidos de picos da mais absoluta paz e êxtase. É simples: não se pode conhecer a luz sem se enfrentar primeiro a sombra… Catarse é um processo saudável e bem vindo – e qualquer terapeuta conhece este processo muito bem. Revivi coisas que pensei ter esquecido, e outras que sequer sabia que tinha vivido!

Ao fim do período, quando os alunos puderam trocar suas experiências, percebi que situações similares fizeram parte do processo de todos com quem conversei – assim como o sentimento de gratidão pela oportunidade que o Universo deu a todos.

Conclusão

A neurose humana parece não ter fim, e vai continuar fazendo mais vítimas enquanto persistirmos em encontrar fora a causa de problemas criados interiormente. Por este motivo, conhecer-se a si mesmo torna-se urgente – e fundamental! – pra sairmos da roda do sofrimento. E Vipassana é, sem dúvida, uma maneira inigualável de atingirmos a paz e a plenitude da consciência.

Há vídeos (que podem ser encontrados no youtube) mostrando a aplicação da técnica em prisões na Índia e nos EUA (no mesmo formato que qualquer pessoa participaria, ou seja, com 10 dias de curso). Em ambos, tanto detentos – pessoas com um grau de negatividade e sofrimentos exponencialmente maior do que a média – quanto a direção e autoridades judiciárias do local, dão seu testemunho e parecer favorável a respeito desta vivência. Isso mostra de forma incontestável a eficiência desta técnica de meditação para a limpeza emocional.

Eu recomendo: mas não deixe sua inscrição pra ultima hora, elas abrem com cerca de 3 meses de antecipação e as vagas são preenchidas rapidamente.

E mais um detalhe: o curso é gratuito! Doações podem ser feitas apenas por alunos antigos, quando efetivamente os benefícios são sentidos. Toda a organização do evento é feita através de trabalho voluntário e não remunerado.

Mais informações: http://www.dhamma.org/pt/

Abaixo, um video de S. N. Goenka em uma conferência da ONU falando sobre a técnica: