Liberdade emocional

Sentimentos bloqueados, vida bloqueada

Imagine algo que você precisa fazer, mas não faz. Pode ser algo que acrescente saúde, prosperidade, relacionamentos, paz… Algo que você sabe que é importante, mas… causa preguiça, ansiedade, tensão, ou qualquer tipo de desconforto.
Estes sinais são inconfundíveis: você tem um bloqueio, mas provavelmente não sabe.
Bloqueio é quando, mesmo sabendo que algo vem para nosso bem, nós não conseguimos fazer. Às vezes são coisas simples, como limpar o quarto. Outras exigem algum esforço, como estudar. Outras vezes, precisamos apenas deixar de lado as preocupações e relaxar. Não importa a situação: se olhamos pra ela e não nos sentimos à vontade, o significado é basicamente o mesmo: “Houston, we have a problem!”.

Bloqueio é outra maneira de dizer que não estamos alinhados, congruentes, com algo que desejamos.

E ele se expressa de três maneiras diferentes: através do corpo (“frio no estômago”, por exemplo); das emoções (“estou com medo”); e dos pensamentos (“acho que não vou dar conta”). E quando estamos lutando com tamanha carga contrária, qual será o resultado de nosso empreendimento? Se tivermos resultados (apenas “se”), costuma ser com suor e sofrimento. E no fim da jornada, nos questionamos: valeu a pena?

O que nem todos entendem é muito elementar: pra onde vou, meu bloqueio vai junto (óbvio!). E além disso – e igualmente importante: ter um bloqueio emocional significa TER UMA VIDA BLOQUEADA, porque toda a minha vida está sendo afetada por ele!
Se você não entendeu, vamos lá: não pense que o medo se expressa em você apenas na hora de prestar um exame ou pagar suas contas. Medo é medo. Ele está aí, inativo, contaminando silenciosamente tudo que você faz. Tudo. Você apenas não se dá conta. Outras vezes se acostumou, ou acha que é normal ser assim: ansioso, agitado, tenso…

Você acha que sente raiva apenas quando as coisas dão errado? Tem pessoas que não percebem a impaciência com a família, os filhos, os amigos… é a mesma raiva, só trocou de nome!

E aquela culpa por TER FEITO ALGO, ou por NÃO TER FEITO. E esse “algo” pode ter uma semana, um ano ou mesmo um século: se você ainda pensa nisso e a culpa está lá, saiba que sentir-se culpado é a melhor maneira de se dar mal, se sabotar, procrastinar… no momento presente (seu inconsciente nunca esquece, pra ele é sempre AQUI).

Já ouviu a frase de que toda emoção é contagiante?

Nossa alegria tem o poder de tornar nossa vida – e das pessoas que vivem conosco – uma eterna brincadeira.

Mas emoções negativas também contagiam: o medo, a raiva e a tristeza tem exatamente a mesma capacidade de impregnar tudo que fazemos. É simples: elas são parte de você. Talvez estejam adormecidas, mas são percebidas como insegurança, falta de leveza, tensão, insônia, indisposição… É a mesma emoção, apenas se expressando em outro contexto e com outro nome. Bloqueando você. Limitando sua vida. Diminuindo seu potencial e alegria. E se repetindo indefinidamente!

Os intermináveis ciclos negativos

Você já reparou que algumas coisas na sua vida sempre se repetem, por mais que você não queira?

Você troca de namorada(o), de trabalho, e até de cidade e… tudo volta a acontecer como antes.

Tenho uma amiga que passou um tempo nos EUA, e percebeu que continuava atraindo o mesmo tipo de homens.

Outra, que trocava de emprego, e poucos meses depois passava a sentir-se tão desconfortável quanto no anterior.

Outro, que tinha no trabalho as mesmas dificuldades que tinha em casa com o pai.

Outro, que quanto mais ganhava em seu trabalho, mais gastava – ou seja, estava sempre no vermelho!

Faça o teste: procure em você um desconforto emocional que está acontecendo neste momento da sua vida. Encontrou? Agora conecte-se a esta emoção e volte em suas memórias, retorne em sua linha do tempo, deixe-se levar em seu passado embalado pela emoção. Se você fez o exercício da maneira correta, o que vai encontrar é muito simples: outros eventos de sua vida em que a mesma emoção estava presente. Percebeu que os eventos mudaram mas A MANEIRA COMO ME SINTO é exatamente a mesma? Isso chama-se EMOÇÃO CONDICIONADA.

Nossas emoções são a cola entre “eu” e “meus resultados”.

Quando me sinto mal, tenho resultados ruins.

Quando me sinto bem, que outros resultados eu poderia ter?

Se vivo dentro de um ciclo de emoções condicionadas, viverei uma vida condicionada também.

Tão seguro quanto 2 e 2 são 4! E por mais esforço que eu faça pra mudar esta realidade, por mais inteligência ou diplomas que eu tenha, por mais que eu trabalhe e me dedique, mais eu terei… do mesmo! As mesmas histórias, os mesmos problemas, as mesmas dificuldades… tudo igual!

Isso acontece porque tudo que vemos em nosso mundo começa dentro. O que vejo do lado de fora são apenas os resultados.

Se minhas sementes são ruins, se meus pensamentos e emoções são negativos, os resultados serão igualmente complicados… lembre-se que ninguém planta melancias e colhe tomates! 😊

A liberdade começa quando reconhecemos nossos ciclos negativos. Eles são apenas programas inconscientes, mas como qualquer aplicativo, ele pode ser mudado…

A liberdade está no aqui e agora

Por tudo isso, podemos perceber que a maior parte das pessoas é governada por seus condicionamentos emocionais negativos, instalados em sua mente sem que elas nem mesmo tenham percebido. Podemos nos sentir vítimas do destino, mas em nossa falta de consciência e autoconhecimento encontramos a origem de nosso próprio sofrimento.

Mas não importa qual é a nossa história, sempre é tempo de mudar – e o melhor momento para isso é AGORA!

Liberdade emocional é poder ser o nosso melhor, e tomar decisões e atitudes baseados em sentimentos genuínos, partindo de um estado de paz e segurança interior, sem amarras ou bloqueios. E desta maneira, deixar pra traz um estilo de vida medíocre e sem graça, mas viver de forma autêntica e genuína em tudo o que fazemos!

“Você muda o mundo como consequência do que você se tornou”.

David Hawkins