A importância da aceitação

Ainda hoje recebi a notícia de uma parente com câncer em uma das mamas. Hoje, terça feira, a informação era de que na quinta ela iria retirar as DUAS MAMAS –PREVENTIVAMENTE!

Em outros tempos, esta informação já foi suficiente para me deixar profundamente decepcionado com a medicina convencional quando vinda de um jornal ou outro informativo qualquer – já que hoje se trata de algo comum nestes meios, mas vindo de uma pessoa próxima foi um susto. Pensei comigo: “há tanto tempo tenho falado e divulgado a importância da saúde integral, mas como ela se permitiu que isso acontecesse? E mais, porque fui o último a saber?” É, talvez o ditado esteja correto quando diz que santo de casa não faz milagres mesmo…

Por estar atuando dentro do campo das terapias alternativas há muitos anos, sei que o câncer tem muitas formas diferentes de cura – e que isso não é raro em nossos meios! Mas o que eu posso fazer para mudar o mundo a respeito desta crença tão equivocada de que o câncer mata?

Estas e outras questões surgiram rapidamente em minha mente, foi inevitável que me sentisse profundamente frustrado diante do que estava acontecendo. Ao mesmo tempo, respondendo a algumas perguntas sobre EFT no Orkut, acabei me deparando com a seguinte: “não gosto das mudanças que estão acontecendo aqui no bairro, casas antigas e bonitas sendo destruídas para dar espaço a arranha-céus me entristece. Mesmo que eu vá usando a EFT, as casas também continuarão a ser demolidas. Funciona? Como usar?” Mesmo em diferente situação, o sentimento era o mesmo: frustração, a incapacidade de aceitar aquilo que é.

A aceitação é a base de muitas doutrinas do passado, encontrada principalmente dentro do Budismo. E é bastante simples: o mundo não vai se dobrar para nós, mas nós devemos aceitá-lo como ele É – apenas isso. Isso também pode ser entendido de outra forma: sofrimento é inevitável, mas a dor é opcional. E aceitar é o primeiro passo para compreender e evitar esta dor. Por isso, duas pessoas passando pela mesma situação reagem de formas diferentes. Suas experiências, crenças e condicionamentos fazem a diferença. Por este mesmo motivo, esta pessoa prestes a fazer a cirurgia talvez esteja bem (chamá-la de feliz não é, nem de longe, o mais apropriado!) porque está prestes a livrar-se de um grande mal; no entanto, eu sei que existem outros meios não agressivos e menos traumáticos para o mesmo fim… mas o que fazer para mudar uma crença profundamente enraizada na mente de alguém que, simplesmente, não quer mudar?

Nada, absolutamente nada. Assim como uma crença não deixará de existir ou as demolições de casas antigas não irão parar apenas porque eu quero. Mas posso mudar a minha forma de interagir e sentir estes eventos: eles continuarão a ocorrer, mas sem que isso me machuque.

Qualquer fato em nossa vida que tenha gerado um resultado que não foi esperado pode e deve ser trabalhado. Por quê? Sentimentos que jogamos pra debaixo do tapete, que empurramos com a barriga ou “nos esquecemos” vão continuar agir em nossas vidas de forma inconsciente e alterando nossos resultados. Imagine que você se frustra diante de uma campanha de divulgação em seu trabalho. Que ânimo existirá em uma nova campanha? Que pensamentos a idéia de refazer este trabalho serão gerados? “não adianta mesmo, é perda de tempo, já fiz antes e não deu resultado, pra quê tentar novamente”. Além disso, algumas vezes não percebemos um pensamento sutil, mas sentimos uma preguiça, um desânimo ou descrença no resultado. É evidente, a Lei da Atração irá trabalhar para trazer exatamente aquilo que vibramos: outro fracasso e mais frustração.

Diante deste tipo de situação, analise-se profundamente: que sentimentos existem neste momento em seu interior? Frustração? Raiva do sistema? Decepção consigo mesmo ou com as pessoas ao seu redor? Trabalhe um de cada vez até zerar o sentimento e verá que apesar de não conseguir mudar o mundo, mudar sua natureza interior fará você se sentir muito melhor diante dele.

“Quer mudar o mundo, comece por você” – Gandhi

Siga-me!

Rafael Zen

Eu sou fascinado pelos mistérios e conexões entre o corpo, a mente e a consciência. E o que poderia existir de mais transformador do que o conhecimento de si mesmo?
Siga-me!

Últimos posts por Rafael Zen (exibir todos)

2 thoughts on “A importância da aceitação

  1. Hoje (06.04.2011) dei uma volta no meu bairro (Hauer) para ver as árvores que foram ‘podadas’ pelo vento de sexta feira passada. Cheguei à conclusão que, as que caíram, podem ter sido as mais fracas, já que algumas estão firmes e fortes. Mas, o que mais me doeu foi saber, através de uma das moradoras, que a Prefeitura, por não dar conta do recado, liberou geral o corte delas. Inclusive, essa moradora estava varrendo os galhos de um ipê roxo lindíssimo, de uns 30 anos, que ela mesma plantou e não foi tocado pelo vento, mas, já estava no chão pela serra elétrica. Difícil aceitar uma coisa dessas… =[

Comente! Sua opinião é importante pra nós!