Como reconhecer sua sombra

O Efeito Sombra

Existe um termo que ficou mundialmente conhecido alguns anos atrás com o lançamento de um livro e documentário chamado “O Efeito Sombra”. O termo tem origem em Carl Jung, e refere-se àquelas partes nossas que rejeitamos ou buscamos encobrir de nossa consciência. No entanto, não escondemos nada do Universo, ele sempre nos mostra quem realmente somos através do espelhamento causado por pessoas e eventos externos (estamos todos interconectados).

A sombra é aquilo que rejeitamos em nós mesmos. São partes de nossa natureza que consideramos “impuras” ou que nos impedem (segundo nossas próprias crenças e temores) de ter amor, aceitação ou apreciação dos outros. Por negarmos esta parte nossa, a escondemos de nossa vista – embora os únicos a ser submetidos a este engodo somos nós! Quando este fenômeno acontece, fazemos a compensação nos transformando no oposto daquilo que rejeitamos.

Existem algumas maneiras simples de percebê-la. Por exemplo, encontre duas palavras em seu vocabulário que jamais gostaria que fossem ditas a seu respeito nos jornais. Isso já nos dará pistas bastante certeiras – e às vezes, perturbadoras…

Mas existem outros meios até mais eficientes quando buscamos estes indícios na vida diária – assim, não conseguimos nos esconder do inevitável! Mas pra isso, coragem e honestidade são fundamentais…

Pergunte ao cônjuge, amigos ou filhos sobre seus comportamentos e atitudes mais comuns.

Quer você goste ou não, sendo humano, você tem uma sombra. Se não consegue vê-la, pergunte a alguém da família ou às pessoas com quem trabalha, elas vão indicá-la para você. Pensamos que nossas máscaras mantêm nossas verdades ocultas, mas, todas as vezes que nos recusamos a reconhecer aspectos nossos – e quando menos esperamos – ele dá um jeito de erguer a cabeça e fazer-se conhecido.

Abaixe suas defesas e apenas ouça o que eles têm a dizer, sem resistências ou justificativas. Que frases ou palavras são difíceis de ouvir? Tudo aquilo que tem poder para nos ferir, seja de pessoas próximas ou apenas de um noticiário, guarda algo de verdade a nosso respeito.

Quanto maior nossa necessidade de defesa ou justificativa perante as críticas alheias, maior verdade ela contém. As frases que nos soam mais difíceis de engolir e que mais nos machucam, são as que revelam nossos pontos mais escuros, mais ignorados e de maior urgência para aprimorar. A mensagem é simples e clara: tem algo que estou rejeitando ou que não desejo ver…

Ouça seus próprios pensamentos e julgamentos a respeito dos semelhantes.

Nós aprendemos que não devemos julgar, mas isso é o que mais fazemos: “fulano é mandão”, “beltrana é fofoqueira”, “ciclano só pensa em dinheiro”. Não se engane: o julgamento não passa de uma projeção de suas próprias crenças (projeção significa transferir para outras pessoas nossos próprios pensamentos como se fossem deles), e o molde parte sempre da seguinte premissa: “Não posso admitir o que sinto, então, acredito que o problema é você!”.

Todos usam a projeção como forma de defesa para evitar olhar para dentro de si mesmos e assumir quem são. Mas cada vez que rotulamos negativamente o que os olhos veem, nos alimentamos emocionalmente desta mesma energia que emitimos através de pensamentos ou palavras, nos tornando exatamente aquilo que criticamos. “O que você vê, você se torna” diz o ditado.

Um exemplo prático de ser observado diz respeito a política externa adotada por certos países. Quando o número de “efeitos colaterais” – em linguagem popular, as baixas civis – não param de crescer, inevitavelmente nos questionamos: em verdade, quem são os terroristas?

Mas também podemos aproximar isso da nossa realidade: a corrupção política lhe causa raiva ou repulsa? Você costuma postar críticas ou comentários negativos sobre isso no facebook? Então pergunte-se: eu nunca fui desonesto? Posso me assegurar com toda certeza que nunca troquei minha integridade por um punhado de lentilhas? Se é a verdade que está procurando, vai encontrar. Por outro lado, quanto mais intensa e negativa for sua reação, quanto mais estas frases perturbarem sua paz, mais profundo está sendo seu autoengano. E não custa lembrar: cada povo tem o governante que merece, e a política é apenas um reflexo do inconsciente das massas.

Observe circunstâncias que se repetem em sua vida.

O retorno de situações significa que ainda não estamos curados. Aquilo com que você não puder conviver não o deixará em paz.

As outras pessoas espelham o que está dentro de nós porque, subconscientemente, estamos provocando isso nelas. É por isso que certo tipo de pessoas e situações aparecem e reaparecem vezes sem conta em nossa vida. O milagre acontece quando você toma consciência de um aspecto seu, aceitando-o e transmutando-o. Nesse ponto, a pessoa que está lhe servindo de espelho também deixará de ter aquele comportamento (porque ela é apenas um reflexo); ou você pode apenas decidir afastá-la de sua vida. Quando você quebra a conexão, não precisa mais de uma outra pessoa para espelhar a sua sombra, e, como você estará mais inteiro, atrairá de forma natural aqueles que refletem a sua totalidade. A medida em que nos transformamos, pessoas mais saudáveis aparecem em nossa vida.

Mais importante do que “o que” você vê, é “porquê” você vê…

Em certa ocasião, durante um atendimento, a cliente se queixou que há anos a família a tratava de maneira áspera, até agressiva, diziam que ela era chata e mandona. Depois de alguns minutos de conversa e estudando as informações que tinha obtido com ela, perguntei: você quer mesmo saber a verdade? Ela respondeu: é claro, é pra isso que estou aqui! Então eu disse: tenho certeza que você é chata e mandona sim! Como eu falei com jeito e ela estava aberta pra isso, o riso foi inevitável. Bastou que investigássemos sua conduta, seu modo de vida e seus maneirismos com a família pra perceber que eles estavam certos: ela realmente queria fazer sobressair a sua razão, mas não tinha percebido que não aceitava a deles; eles estavam apenas devolvendo pra ela (ou espelhando) a maneira como eram tratados. Mas o melhor não parou por aí: bastou que ela alterasse pequenas coisas em sua conduta interior (o projetor) para que o inevitável ocorresse e as críticas se convertessem rapidamente em elogios.

Aquilo que você resiste, persiste!

Enquanto não tomamos consciência destes aspectos interiores, será inevitável: eles tomarão conta da nossa vida. E sem que você perceba, estará fazendo exatamente aquilo que rejeita.

E porque fazemos isso? Embora as vezes o processo seja bastante sutil, a origem deste mecanismo diz respeito a nos tornar socialmente aceitos, queridos, ou ter qualquer tipo de sucesso ou reconhecimento; é uma maneira de provar ao mundo que não somos aquilo que negamos – só que não funciona! Se está com dúvida, pergunte a sua família…

A sombra é uma parte sua. Ao oculta-la, estamos ocultando a origem de nossos problemas; portanto, reconhece-la é o início da mudança. Mas você não é obrigado a viver ocultando-se de si mesmo; esta é apenas uma opção nada saudável. A única decisão que precisamos tomar é: por quanto tempo ainda desejo sofrer?

“Ninguém se torna Iluminado por imaginar figuras de luz, mas sim por tornar consciente a escuridão” – Carl Jung

Siga-me!

Rafael Zen

Eu sou fascinado pelos mistérios e conexões entre o corpo, a mente e a consciência. E o que poderia existir de mais transformador do que o conhecimento de si mesmo?
Siga-me!

Últimos posts por Rafael Zen (exibir todos)

4 thoughts on “Como reconhecer sua sombra

  1. Agradeço muito.
    Artigo objetivo, conciso e elucidativo, para se ter uma noção como o ser humano é complexo e difícil de ser analisado.
    Acredito que a utilização de várias técnicas terapêuticas, ao serem aplicadas, muito ajudariam ao paciente, como enriqueceriam também a bagagem de conhecimento dos terapeutas.
    Sem fazer juízo de valor, há profissionais que se apegam a determinada linha de terapia, fecham suas mentes e não admitem o NOVO. Para isso, é preciso coragem.
    Atenciosamente,
    Luiz Albuquerque
    (sou graduado em outra área, não a terapêutica)

Comente! Sua opinião é importante pra nós!