A sabedoria do coração

Recentemente, neurofisiologistas ficaram surpresos ao descobrir que o coração é também um órgão de inteligência, mais do que (meramente) a estação principal de bombeamento do corpo: mais da metade do coração é na verdade composto de neurônios da mesma natureza daqueles que compõem o sistema cerebral. Joseph Chilton Pearce (autor de A biologia da Transcendência) chama a isto de “o maior aparato biológico e a sede da nossa maior inteligência.”

O coração também é a fonte de maior intensidade no campo eletromagnético do nosso corpo. Cada célula do coração é única, e não apenas pulsa em sintonia com todas as outras células do coração, mas também produz um sinal eletromagnético que se irradia para além da célula. Leituras por eletroencefalograma mostram que além de os sinais eletromagnéticos do coração serem muito mais fortes do que as ondas cerebrais, uma leitura do espectro de frequências do coração pode ser tomada a partir de três metros de distância do corpo… sem a colocação de eletrodos sobre ele!

O coração é também o primeiro órgão formado no útero. O resto vem depois.

A frequência eletromagnética do Coração produz arcos para fora do coração, que retornam na forma de um campo saliente e arredondado, como anéis de energia. O eixo desse anel do coração se estende desde o assoalho pélvico para o topo do crânio, e todo o campo é holográfico, o que significa que as informações sobre ele podem ser lidas a partir de cada ponto deste campo.

O anel eletromagnético do Coração não é a única fonte que emite este tipo de vibração. Cada átomo emite energia nesta mesma frequência. A Terra está também no centro de um anel, assim é o sistema solar e até mesmo nossa galáxia… e todos são holográficos. Os cientistas acreditam que há uma boa possibilidade de que haja apenas um anel universal abrangendo um número infinito e interagindo dentro do mesmo espectro. Como os campos eletromagnéticos são anéis holográficos, é mais do que provável que a soma total do nosso Universo esteja presente dentro do espectro de frequência de um único anel.

Isto significa que cada um de nós está ligado a todo o Universo e como tal, podemos acessar todas as informações dentro dele a qualquer momento. Quando ficamos quietos para acessar o que temos em nossos corações, nós estamos literalmente conectados à fonte ilimitada de Sabedoria do Universo, de uma forma que percebemos como “milagres” entrando em nossas vidas.

Quando desconectamos e nos desligamos da sabedoria inata de amor do Coração, baseando nossa vida nos pensamentos, o intelecto refletido no ego assume o controle e opera de maneira independentemente, nos voltando para uma mentalidade de sobrevivência baseada no medo, ganância, poder e controle. Desta forma, nossa percepção de vida muda para a limitação e escassez, nos levando a acreditar que estamos separados e que precisamos lutar para sobreviver.

Este órgão incrível, que muitas vezes ignoramos, negligenciamos e construímos muros ao seu redor, é onde podemos encontrar a nossa força, nossa fé, nossa coragem e nossa compaixão, permitindo que a nossa maior inteligência guie nossas vidas.

Devemos agora mudar as engrenagens para fora do estado baseado no medo mental que temos sido ensinados a acreditar, e nos mover para viver centrados no coração. Para que esta transformação ocorra, é preciso aprender a meditar, “entrar em seu coração” e acessar a sabedoria interior do Universo. É a única maneira, é O Caminho. A medida que cada um de nós começa esta revolução tranquila de viver do Coração, vamos começar a ver os reflexos em nossas vidas e em nosso mundo. Esta é a forma como cada um de nós vai criar uma mudança no mundo, criar paz, criar harmonia e equilíbrio, e desta forma, vamos todos criar o Paradigma do Novo Mundo do Céu na Terra.

Rebecca Cherry

Siga-me!

Rafael Zen

Eu sou fascinado pelos mistérios e conexões entre o corpo, a mente e a consciência. E o que poderia existir de mais transformador do que o conhecimento de si mesmo?
Siga-me!

Últimos posts por Rafael Zen (exibir todos)

5 thoughts on “A sabedoria do coração

    1. Olá Carminha,
      A Bíblia conforme conhecemos tem origem no hebraico, foi traduzida para o grego e muito mais tarde para as línguas ocidentais. Além de diferenças de tradução, ainda existem interpretações diferentes sobre o mesmo tema. Só por isso, já podemos entender o motivo de algumas diferenças.
      Nossas emoções inferiores nos enganam, separam, causam dor.
      O coração, a morada de nosso espírito (e de nossa consciência, segundo os egípcios), inclui, perdoa, aceita.
      Lembremos ainda que o cristianismo fala muito no “coração de Jesus”.
      Espero que tenha ficado mais claro pra vc.
      Um abraço

Comente! Sua opinião é importante pra nós!