Ser feliz é mais saudável!

Somos seres movidos por nossas emoções, vivemos emocionalmente.

Selecionamos nossa profissão, nosso cônjuge, amigos e emprego em função do prazer que estes nos proporcionam – ou das crenças a que estamos condicionados!

A emoção é o mediador entre a mente e o corpo: enquanto um pensamento permanece unicamente na esfera da abstração, a emoção é física e palpável, provoca descargas químicas e reações corpóreas, portanto sempre é sentida como uma sensação boa ou ruim: paz e felicidade, ardência no estômago ou um nó na garganta. Isso explica o funcionamento do stress, ansiedade e depressão.

Nosso corpo, portanto, é movimentado em função de nossos desejos, e não por nossa razão. Uma pessoa pode saber que precisa emagrecer, mas seu desejo por comida é mais forte e o regime não funciona… Pode saber que precisa estudar, mas a preguiça o impede. Enfim, racionalmente – ou conscientemente – podemos sempre saber o que é melhor para nós, mas isso não significa que efetivamente iremos fazê-lo.

A causa: nosso inconsciente, onde armazenamos nossas experiências de vida, mesmo que esquecidas.

Em nosso inconsciente estão guardadas nossas emoções e desejos mais profundos, nossas crenças, traumas e fobias; e a verdade é que grande parte de nossas ações são originadas por ele. Não fosse assim, tudo seria mais fácil: seríamos mais pacíficos, mais ordeiros, sem vícios, mais prósperos, mais felizes… e finalmente, mais saudáveis!

Nosso corpo é uma máquina perfeita, e muito mais do que expressar movimentos e gestos, expressa continuamente nossos pensamentos e emoções. Um pensamento feliz provoca riso mesmo que estejamos a sós; uma lembrança do passado, mesmo que distante, pode trazer mal estar; e até a imagem de nosso prato favorito causa, literalmente, água na boca. Da mesma forma, a idéia de uma prova futura ou de um encontro desagradável causa ansiedade, taquicardia, suor…

Podemos estar racionalmente distantes de nossas lembranças – boas ou ruins, passado ou futuro – e mesmo tendo consciência disso nosso corpo ignora este fato e vive aquele instante como se fosse agora. Novamente, nossas emoções subconscientes se mostram mais fortes que nossa razão.

Isso leva a uma dedução simples: nosso cérebro é atemporal e não diferencia imagens ou lembranças de fatos reais, acredita – e retransmite ao nosso sistema nervoso – que a ameaça ou prazer são imediatos.

Estudos modernos, como a PNL (programação neurolinguística) comprovam que estamos a todo instante exteriorizando nosso subconsciente. A expressão e brilho de nossos olhos, nosso tom de voz, nossos gestos; tudo faz parte de uma comunicação sem palavras, muito mais eficiente do que a linguagem falada. Igualmente, o Ayurveda há vários milênios já conhecia nossa natureza corporal e emocional como inseparáveis através do estudo dos doshas; algo muito similar aos estudos contemporâneos dos modelos de estrutura de caráter de Wilhelm Reich, discípulo de Freud.

O que podemos concluir disto tudo?

  • Não é possível separar nosso corpo de nossa psique, estes funcionam em uníssono e de forma integral, influenciando-se contínua e mutuamente;
  • Nosso corpo é o laboratório de nossa alma, e qualquer desequilíbrio deste é apenas o reflexo de nossos processos psíquicos – ainda que inconscientes – nos dizendo que algo não vai bem. Quando aceitamos nossas debilidades emocionais e lutamos por corrigi-las, podemos responder as questões como:

Por que ficamos doentes?

Porque um câncer se instala em nossa perna e não em nosso braço?

Porque uma forma de doença e não outra? Porque agora em minha vida, quando tudo parecia bem?

Qual o verdadeiro motivo para termos um fraco desempenho pessoal e não conseguirmos atingir nossos objetivos na vida (nos relacionamentos / negócios / estudos / esportes)?

Qual a explicação plausível para o que acontece de bom ou prejudicial em nossa vida e saúde?

A resposta é: Você é a causa de tudo! É o centro de sua vida e senhor de seu próprio destino.

Não existe sorte, azar, acaso ou genética superiores ao nosso poder de realização pessoal. Quando deixamos de ser vítimas e assumimos o controle, compreendemos de que forma técnicas simples como a meditação agem preventiva e curativamente em muitas  doenças tidas por fatais. Neste momento, iremos compreender porque não é possível tentar eliminar nossos males tratando apenas dos sintomas. São nossas mágoas, medos, culpas, fobias e demais conflitos emocionais os responsáveis por nossas enfermidades. Enquanto a existência destes persistir em nossos corações, saúde perfeita e harmonia serão sempre algo distante…

“O mundo físico, incluindo o nosso corpo, é um reflexo das nossas percepções, pensamentos e sentimentos.”

Siga-me!

Rafael Zen

Eu sou fascinado pelos mistérios e conexões entre o corpo, a mente e a consciência. E o que poderia existir de mais transformador do que o conhecimento de si mesmo?
Siga-me!

Últimos posts por Rafael Zen (exibir todos)

Comente! Sua opinião é importante pra nós!