Curiosidades da Partolândia

Não existe dilatação “de cinco dedos”. A dilatação se mede com 1 dedo, 2 dedos e a partir disso são contados os centímetros, até chegar em 10cm. E, salvo raríssimas exceções, não existe mulher que não dilata. O que existe são profissionais sem paciência para esperar a fisiologia do parto adequadamente.

O que dilata não é a vagina, mas o colo do útero. O canal vaginal é formado de tecido elástico que não precisa dilatar para o nascimento, mas sim “esticar”, logo retomando sua forma original. Por isso, a vagina NÃO fica larga após um parto normal.

Quando a bolsa se rompe, o bebê continua produzindo líquido amniótico através da urina, e sua cabecinha faz uma “rolha” que veda o colo do útero provisoriamente. Assim, ele sempre terá líquido amniótico ao seu redor, sendo impossível um “parto seco”.

Não existe bebê que ficou mal porque “bebeu água do parto” ou porque “engoliu mecônio”. Bebês bebem água do parto durante metade da gestação, o tempo todo, e ingerem mecônio também. O mecônio é uma substancia estéril e sem risco para o tubo digestivo. O perigo é se houver aspiração profunda de mecônio (condição rara). Já o líquido aspirado não chega a ser um problema importante.

Todos os bebês nascem roxos e na gestação eles vivem o tempo todo com esta cor, pois o útero é um ambiente com baixa oxigenação. Apenas após ele nascer e respirar é que vai começar a ficar cor de rosa aos poucos. Portanto, quando disserem “você passou da hora, tanto que nasceu roxo na cesárea”, desconfie do 171 obstétrico.

Todos os bebês têm algum nível de icterícia fisiológica (aquele amarelo na pele e nos olhos). Aos poucos o fígado metaboliza a bilirrubina e a cor da pela vai voltando ao normal. São raríssimos os casos de icterícia patológica que requerem banho de luz. Infelizmente, a imensa maioria dos bebês internados nas UTI’s neonatais privadas está lá para ajudar a pagar o equipamento.

O cordão umbilical não precisa ser cortado em nenhum momento específico. O cordão não faz mal ao bebê! Não tenha pressa! Inclusive diversos estudos demonstram que ele só deve ser cortado após parar de pulsar.

A gravidez humana dura EM MÉDIA 38 semanas a partir da última concepção ou 40 semanas a partir da ultima menstruação. A contagem em mês é artificial e aleatória. Uma gestação normal pode durar até 42 semanas a partir da data da ultima menstruação. O bebê não “passa da hora” quando chega a 40 ou 41 semanas e nem ficará “entalado” na barriga. A natureza é sábia e se preparou milhões de anos para isso.

Apgar é uma nota que se dá ao bebê quando ele nasce. Não precisa fazer nada, só observar o bebê no colo da mãe. A primeira nota se dá com 1 minuto de vida e não tem significado algum. A segunda nota se dá com 5 minutos de vida e diz mais ou menos as condições do recém-nascido naquele momento. Qualquer nota acima de 7 no quinto minuto já é uma nota ótima.

A medida do comprimento do recém-nascido não serve para nada, pois o bebê nasce encolhido. A única medida que tem função é o peso. Nenhuma das duas medidas deveria ser feitas nos primeiros minutos de vida, pois o bebê deveria estar no colo da mãe neste momento.

O cordão umbilical é preenchido de uma geleia elástica que faz com que ele seja praticamente “incomprimível”, mantendo assim os vasos sanguíneos bem protegidos. Por isso, em situações normais, circulares de cordão (seja quantas forem) não tem qualquer significado e NÃO são indicação de cesariana! Além disso, o bebê é oxigenado pelo próprio cordão e não respira pela traqueia, impossibilitando que ele seja “enforcado”.

Na imensa maioria das situações, quem determina a entrada em trabalho de parto é o bebê. Quando seu pulmão (último órgão a amadurecer) fica pronto, começa a produzir uma substância que cai no líquido amniótico e provoca uma reação em cadeia que faz a mulher entrar em trabalho de parto. Portanto, quando a mulher não está em trabalho de parto significa que o bebê não está maduro, simples assim. Nem idade gestacional nem o peso estimado significam que o bebê está pronto para nascer.

Fonte: http://www.terceiromilenionline.com.br/artigos/curiosidades-da-partolandia

Quanto mais a mulher estiver emocionalmente preparada, mais traquilo e rápido será o momento do parto.

O parto, portanto, inicia na concepção. Aproveite estes meses de gestação para libertar-se de sentimentos negativos e vícios emocionais. Quanto mais o coração se abre para este momento, mais especial e único ele se torna.

Através da EFT trabalhamos o equilíbrio emocional da gestante para que deixe fluir, confie e se entregue a sua sabedoria interna.

Valéria Zen

terapeuta e doula

Valeria Zen

Sou fascinada pelo maior de todos os mistérios: o ser humano! Especialista em Desenvolvimento Humano e apoio emocional a gestante.

Últimos posts por Valeria Zen (exibir todos)

One thought on “Curiosidades da Partolândia

  1. Amei essa leitura, tão produtiva, tão maravilhosa, tanto conhecimento em poucas palavras. Tudo hoje que deve ser normal é anormal, e tudo o que é anormal é normal, inversão de valores, eu sou ativista ao parto normal, a energia natural do ser humano, a paz , ao amor que tudo gera. É tão mais fácil entender que tudo é uma energia que deve fluir calmamente.
    Grata por essa nota. Estou grávida de 31 semanas e sempre pensei assim, mas alguns conhecimento eu não tinha. Grata mesmo!

Comente! Sua opinião é importante pra nós!